PIONEIRA EM SONDAGEM À PERCUSSÃO NOSSA RESPONSÁBILIDADE FICA ABAIXO DO SOLO PARA QUE SUA CONSTRUÇÃO FIQUE NA VITRINE.
Planejamento e execução de sondagem a percussão Click aqui...
   

TIPOS DE SONDAGENS

Confira aqui as principais dúvidaO que é?
A Sondagem é um dos métodos diretos utilizados para a coleta de informações do subsolo e avaliação da capacidade de suporte para Obras. É realizada através de uma perfuração em solo (Sondagem a Percussão) ou rocha (Sondagem Rotativa) onde são determinados os seguintes itens:


- Descrição do tipo de solo e/ou rocha e a interpretação geológica até a profundidade de interesse do
projeto por meio de amostragem de solo a cada metro ou variação de camada ou amostragem integral da rocha em testemunhos cilíndricos;

- Avaliação das diversas camadas de solos medidas por índice de resistência a penetração do amostrador a cada metro (Standard Penetration Test - SPT);

- Condições do maciço rochoso, considerando a recuperação dos testemunhos, RQD, grau de Alteração, fraturamento e características das descontinuidades;

- Informação completa sobre o nível do lençol freático (nível d'água estático e dinâmico).

A importância da realização de Sondagens.

É de consenso geral que em toda Obra de Engenharia, há sempre um item da qual o projeto tem de se adaptar as condições impostas pela natureza do subsolo. É-se obrigado a aceitá-lo, com suas qualidades e "defeitos".

Frequentemente são relatados casos em que a pressa em construir e a ausência de técnicas e profissionais qualificados levaram a atrasos em obras, quando não a desastres completos.

É evidente que projetos de fundações baseadas em condições desconhecidas do subsolo são desenvolvidas com coeficientes de segurança extremamente elevados ou sem nenhum critério técnico que acarreta em custos maiores e sem a segurança das informações de um ensaio. O resultado, na maioria das vezes, gera desgastantes discussões entre as partes de um contrato de obras.

Sondagem a Percussão (SPT)

A Sondagem a Percussão é uma ferramenta de investigação do subsolo que, associada ao ensaio de penetração padronizado (SPT), mede a resistência do solo. O ensaio consiste na cravação de 45cm, a cada metro de perfuração, do barrilete amostrador através do impacto de um martelo de 65kg, caindo livremente de uma altura de 75cm sobre a composição das hastes. Após o termino de cada ensaio a composição de hastes é retirada para a coleta da amostra no interior do barrilete amostrador que é substituído pela ferramenta de perfuração (trado ou trepano de lavagem) para continuidade da sondagem até a cota do novo ensaio.

O valor da resistência à penetração (Nspt) consistirá no numero de golpes necessários à cravação dos 30cm finais do barrilete amostrador.

O ensaio de penetração só será interrompido quando já tiver atingido critérios técnicos adequados justificado para cada tipo de obra ou após atingir o impenetrável à percussão identificado quando não se obtiver penetração após dez golpes consecutivos, quando o numero de golpes num mesmo ensaio ultrapassar 50 ou após a realização do ensaio de lavagem por tempo, quando forem obtidos avanços inferiores a 5cm por período de 10 minutos de lavagem.

O resultado do ensaio é apresentado na forma de gráfico indicando o
valor de Resistência Nspt a cada metro, descrição geológica-geotécnica do material perfurado e o nível d'água quando atingido. De posse deste resultado o Engenheiro de Fundações adotara o tipo de fundação mais adequada (técnica e financeira) ao projeto.


Sondagem Rotativa (SR)

A Sondagem Rotativa é utilizada para perfuração em rocha. Assim, ao constatar a presença de material impenetrável a ferramenta de Percussão é dada continuidade a perfuração utilizando Sonda Rotativa, , equipamento que permite a extração de amostras de rocha (testemunhos). Os processos podem ser alternados de acordo com a natureza das Camadas (Solo ou Rocha) até atender as necessidades do projeto.

É uma ferramenta obrigatória quando se trata de obra que irá repousar em terreno onde afloram blocos rochosos (denominados de "matacões") apoiados sobre solos cuja capacidade de suporte é desconhecida.

Em geral, para fins geotécnicos, são realizados furos com diâmetro NW (7,55cm) e avanços com recuperação de testemunhos a cada metro perfurado. Os testemunho são cuidadosamente acondicionados em caixas de maneira a serem mantidas as posições originais indicando a profundidade inicial e final de cada manobra (inclusive fendas, cavernas e material não recuperado).

Os testemunhos já acondicionados em caixas são analisados por um Geólogo seguindo critérios geotécnicos e geológicos de interesse ao projeto.

 

Copyright © 2008-2010 MFL Sondagens - Todos os direitos reservados.
Site Desenvolvido por G3 WEB Master